| | |

Guia do C√£o - Portal informativo sobre c√£es, gatos e outros animais.

Condi√ß√Ķes de utiliza√ß√£o

Tem um novo animal de estimação? Então tome nota!

Por: Ana Matias


Em primeiro lugar, o seu novo animal de estima√ß√£o deve ter um espa√ßo pr√≥prio para ele, onde se sinta confort√°vel e onde possa brincar e aprender. Deve ser alimentado com ra√ß√£o indicada para a esp√©cie, idade e ra√ßa, pois existem necessidades alimentares espec√≠ficas que v√£o mudando ao longo do seu crescimento. As ra√ß√Ķes secas classificadas como super-premium s√£o as aconselhadas, por serem de melhor qualidade e trazerem mais benef√≠cios para a vida do seu animal. Lembre-se que um dos melhores investimentos que poder√° fazer para o futuro do seu patudo √© dar-lhe um bom alimento! Quanto √† hora das refei√ß√Ķes devemos optar pelo que √© mais pr√°tico para si e para o seu animal. O ideal ser√°, no caso dos c√£es, fazer refei√ß√Ķes em hor√°rios certos, ou seja, expor o alimento ao animal durante cerca de 10 minutos por refei√ß√£o. Caso o c√£o opte por n√£o comer, a ra√ß√£o deve ser recolhida e administrada na refei√ß√£o seguinte. O n√ļmero de refei√ß√Ķes depende de cada animal e varia com a sua idade. A maioria dos cachorros faz, inicialmente, tr√™s ou quatro refei√ß√Ķes por dia que, posteriormente, poder√£o ser reduzidas para duas. No caso dos gatos, a comida poder√° estar sempre √† sua disposi√ß√£o ou optar-se pelo regime das refei√ß√Ķes como nos c√£es. Relativamente √† √°gua, dever√° estar sempre dispon√≠vel e √© importante que seja mudada v√°rias vezes ao longo do dia. 


Outro ponto a salientar √© a educa√ß√£o. Lembre-se que quanto mais jovem √© o seu animal, mais facilmente aprende o que lhe quer transmitir, por isso h√° que haver um equil√≠brio entre a brincadeira e o momento certo para a aprendizagem. 

Os cuidados de higiene como os banhos, a escovagem do pelo, a limpeza de olhos, de ouvidos e de dentes, e o corte de unhas s√£o outras considera√ß√Ķes a ter em conta e que devem ser conversadas na primeira visita ao M√©dico Veterin√°rio, j√° que diferem de animal para animal. 

O protocolo mais adequado de desparasita√ß√£o interna e externa para o seu animal deve ser outra das quest√Ķes colocadas ao M√©dico Veterin√°rio logo de in√≠cio. Os c√£es e os gatos podem ter dois tipos de parasitas: os internos (as chamadas ‚Äúlombrigas‚ÄĚ) e os externos (pulgas, carra√ßas, piolhos, √°caros, mosquitos), muitos deles transmitem-se aos humanos, por isso ao protegermos os nossos animais acabamos por protegermo-nos tamb√©m. 

Por fim, a vacina√ß√£o dos c√£es e dos gatos tem in√≠cio √†s 6 e √†s 8 semanas de idade, respectivamente, e √© a melhor forma de preven√ß√£o contra as principais doen√ßas infecto-contagiosas. At√© o seu animal ter completado o protocolo vacinal, n√£o √© conveniente que passeie em zonas n√£o controladas, frequentadas por outros animais com estados de sa√ļde desconhecidos. No entanto, a idade da vacina√ß√£o coincide com o per√≠odo mais importante para sociabilizar. Assim sendo, encontre estrat√©gias seguras que lhe permitam mostrar-lhes o Mundo que os rodeia sem os colocar em perigo: leve-os a passear ao colo ou de carro para que se habituem a ouvir ru√≠dos e ver pessoas diferentes, e caso conhe√ßa amigos/colegas que tenham animais vacinados, desparasitados e saud√°veis permita que brinquem uns com os outros! Aproveite todos os momentos com o seu patudinho, porque ele vai agradecer e retribuir da melhor forma!


Leia também:

Apoios institucionais


Creative Commons License

Guia do C√£o © by OneGlobalHealth Consulting is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.