| | |

Guia do C√£o - Portal informativo sobre c√£es, gatos e outros animais.

Condi√ß√Ķes de utiliza√ß√£o

Os nossos c√£opanheiros, os tumores e os cancros...

Por: Manuel Pequito


Os nossos cãopanheiros, tal como nós, Humanos, podem desenvolver tumores e cancros. Temos cada vez mais armas terapêuticas para ajudar os nossos animais com esses problemas, no entanto é importante conseguirmos detectar esses problemas o mais precocemente possível, para maximizar as hipóteses de tratamento.


Durante o seu ciclo de vida, as células que constituem os diversos tecidos e orgãos envelhecem, morrem e são substituídas por novas células. Infelizmente, algumas vezes, este processo pode correr mal e formam-se células novas, sem que o organismo necessite e, ao mesmo tempo, as células velhas não morrem. Este conjunto de células, extra, forma um tumor. Nem todos os tumores correspondem a cancro. Os tumores podem ser benignos ou malignos.


Os tumores benignos não são cancro, podem ser removidos e podem até regredir. As células dos tumores benignos não se "espalham", ou seja, não metastizam para os tecidos em volta ou para outras partes do organismo. Os tumores malignos são cancro e podem colocar a vida em risco. Os tumores malignos podem, muitas vezes, ser removidos, embora possam voltar a crescer. As células dos tumores malignos podem invadir e danificar os tecidos e órgãos circundantes e também podem libertar-se do tumor primitivo, entrar na corrente sanguínea ou no sistema linfático e metastizar, formando novos tumores noutros órgãos.


Os cães mais idosos têm tendência a ser os mais afectados, no entanto este problema não é, de todo, exclusivo de cães idosos. Os primeiros sinais de alarme aos quais os tutores devem estar atentos são massas palpáveis, que poderão não ser necessariamente cancerosas, mas que são sempre motivo para uma consulta ao Médico Veterinário, sem demora. A opinião e o conselho terapêutico do seu Médico Veterinário são absolutamente essenciais!


Vários são os meios complementares de diagnóstico que, aliados ao exame clínico, ajudam o Médico Veterinário a chegar a um diagnóstico e a um prognóstico. A biopsia e análise histológica, usada para avaliar as células, são essenciais. Feito isto o Médico Veterinário poderá decidir, em acordo com o tutor, o tratamento a executar, que poderá passar por uma cirurgia, quimioterapia, ou radioterapia.


Não se esqueça de ir com o seu cãopanheiro a uma consulta médica se suspeitar de um problema deste tipo. Não se esqueça que o prognóstico será tanto melhor quanto mais precoce for o diagnóstico e mais depressa o tratamento começar!


Leia também:

Apoios institucionais


Creative Commons License

Guia do C√£o © by OneGlobalHealth Consulting is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.